Subscribe
Youtube
Heart
Pessoas,
Vampiro - A Eternidade da Solidão, nasceu no Blog SM-Sem Mistério. Como nem todos gostam de ver Morceguinhos misturados com Fetiches, os blogs foram separados. Porém para quem é ligado em mais de um Fetiche, vai aqui o link direto para o SM Sem Mistério. Lembrando que trata-se de um espaço com conteúdo adulto (artigos fetichistas, filmes livros e trilhas sonoras pra baixar). Bom passeio virtual a todos.
Clique para ir

nest post
baixe o livro

a Hora do Vampiro

Post 06
Manual Prático do Vampirismo (cont...)

5. O Ramo Romeno

O núcleo de vampiros do Ramo Romeno do Grande Pentagrama Europeu conseguiu reunir representantes das dinastias Bruhesesn (Bucareste), Katterfelto (Prússia), Lobaczewski (Cracóvia, na Polônia), Nikolaievitch (Moscou) e Emmerich (Kiev, na Ucrânia). Essa grande diversidade só era (e é) possível devido ao fato de que existe para uni-las um inimigo comum. Mas essa mesma diversidade dentro de toda a estrutura do Grande Pentagrama provoca nos grandes conflitos políticos um intrincado de interesses, alianças, pactos e traições tão grande que muitas vezes uma mesma dinastia tem uma aliança com outra no mundo dos vivos e uma luta de extinção no mundo dos mortos-vivos...


6. O Ramo Itálico

O Ramo Itálico, apesar de ser o menos representativo numericamente falando, é importantíssimo no plano de forças astrais do arsenal do grande Pentagrama. Pois sua função mais importante é interferir nas emissões energéticas do Vaticano para o resto do mundo. Suas atividades em Palermo são comandadas pelo Mago e Vidente vampiro Conde Marcello Murillo de Andreas Cupertino (1204/...), primeiro vampiro da Dinastia dos Cupertino e provavelmente o mais antigo ainda em atividades no planeta. Possui profundos conhecimentos políticos e táticos e chefia ma das maiores redes de informação criminosa da terra. Tem profunda influência em todas as famílias sicilianas e continuamente assina novas alianças e pactos de ajuda mútua.


Um pouco de história

Grandes preconceitos sempre entravaram o progresso da ciência e o conhecimento humano. Nos domínios da Medicina e da Cirurgia, por exemplo, a proibição de dissecar corpos humanos era uma tradição herdada dos gregos e severamente obedecida. No entanto, esse respeito aos mortos contrastava enormemente com a facilidade com que os vivos eram torturados, assassinados e torrados nas fogueiras. Somente quando Frederico II e seus sucessores relaxaram as restrições às práticas médicas, a medicina começou a fazer alguns progressos. Na época em que Colombo descobriu a América, alguma dissecação era permitida na Itália, e o mesmo ano que viu a publicação da Teoria de Copérnico (1543) viu também a de um grande marco na história da Medicina, "A Estrutura do Corpo Humano", de André Vesalius (1514/1564), da Universidade de Pádua. Através da obra a estrura do nosso organismo era compreendida através de uma grande quantidade de ilustrações e não mais através de citações hipotéticas e absurdas de Galeno, Hipócrates ou qualquer outro autor morto há milênios. A descoberta da circulação sabguínea por Willian Harvey (1578/1657), que estudou com Jerome Fabricius (1537/1619), o fundador da embrilogia durante o reinado de Israel, - lançou as bases da fisiologia moderna, pois é impossível compreender qualquer processo fisiológico antes de conhecer o fenômeno da circulação do sangue. Seus trabalhos foram complementados depois do aparecimento do microscópio, quando Marcelo Malpighi (1628/1694) observou a passagem das células sanguíneas pelos vasos capilares da superfície do pulmão de uma rã. E foi impossível a todos explicar a natureza da puricação do sangue pelo oxigênio aspirado pelos pulmões, até que o químico francês Antoine Lavoisier (1743/1794) explicasse a natureza da oxidação, entre 1777 e 1785.
Entretanto um progresso muito maior e uma superação de preconceitos fantásticos e insuspeitados ainda terão que ser superados até que possa vir a público e se tornar do conhecimento comum e em forma científica, as singularíssimas situações orgânicas em que a circulação do sangue possa ser estacionada por dias, meses e até séculos a fio, sem que o corpo entre em decomposição. E que esses mesmos corpos possam prescindir da respiração por completo durante esse mesmo período de tempo. Isso não poderá ser feito mais através da dissecação dos cadáveres que só fornecem informação sobre a estrutura dos corpos mas quase que nada de sua função, ou seja, a fisiologia dos processos invisíveis biológicos e psíquicos muito além da anatomia, da química e da microscopia. Esses conhecimentos existem e são desenvolvidos há séculos, permanecendo no entanto em poder secreto de ordens iniciáticas e religiosas que as exploram de formas absolutamente insuspeitadas, enquanto o resto da humanidade padece e continua sem solução até para a simples gripe, bem como do câncer, da leucemia e outras doenças degererativas. Parece ser perfeitamente lógico que até os próprios vampiros só teríam a lucrar num intercâmbio científico comos seres normais. No entanto, mistérios muito mais profundos tornam impossíveis essa possibilidade. Mistérios que datam da criação do ser humano e talvez até da própria vida do Universo... Com vampiros não há diálogo. Apenas a luta de vida ou morte. Que nunca se esqueça disso, pois eles são extremamente ladinos e capazes de qualquer coisa para ludibriarem, vencerem e continuarem vivos.
2. "Apesar da imprensa ser do conhecimento dos chineses no sec. XI, foi efetivamente com johann Gutenberg (1398/1468) que ela se disseminou explosivamente por volta de 1456. Por volta de 1490 Veneza só possuía cerca de cem estabelecimentos gráficos, mas no final do século cerca de nove milhões de livros já haviam sido impressos e disseminados por toda a Europa. Este desenvolvimento fulminante da imprensa condenou à morte o medievalismo. Cinqüenta anos após a invenção da imprensa, a causa da reforma recebeu um novo e poderoso alento e foi precipitada com uma violência explosiva pela descoberta da América. A 3 de agosto de 1492 Colombo partia de Palos e abria um novo mundo ao pensamento humano. O pensamento medieval estava morto. O mundo penetrava nos tempos modernos, no reinado da Razão."
Há alguns anos eu escreveria o texto acima com um grau de certeza muito maior do que a que tenho hoje. Na verdade, após os acontecimentos que constituem a essência desta narrativa, não creio que o pensamento madieval tenha jamais morrido. Nem que o mundo tenha passado alguma vez por um "reinado da razão". O progresso humano tem sido sempre desarrazoado na mesma proporção. Pois como já mencionei anteriormente, a qualidade de vida das pessoas só tende a dcrescer e o progresso passa a ter cada vez menor signficado prático e utilidade. Eu aprecio cada vez menos as máquinas. Porisso, à importância que delego a este documento, fiz questão de prapara-lo manuscritamente. Os grandes documentos, mesmo os mais recentes, são manuscritos. É uma tradição que quero manter. E que este manuscrito original possa ser mantido intacto mesmo depois que as cópias impressas tenham sido disseminadas e sua destruição se torne assim impossível. Sou extremamente grato a Johan Gutenberg, mas certas coisas só mãos humanas podem transmitir. Manualmente.
Darei a este documento completo o nome genérico de MANUAL PRÁTICO DO VAMPIRISMO. Ele constará basicamente de cinco partes: esta narrativa que alinhava num mesmo contexto as pessoas envolvidas e um conjunto de documentos colhidos em diversas situações e muitas vezes de autores diversos no espaço e no tempo, por mim e por meu saudoso amigo e colega Dr. Paul René, a quem dedico este trabalho.


Manual Prático do Vampirismo




A Hora do Vampiro





Sobre o Livro

Publicado originalmente em 1975, A Hora do Vampiro é inspirado em o Drácula de Bram Stoker. Segundo livro da carreira de King, a obra deu origem ao filme Os Vampiros de Salem, dirigido por Tobe Hopper, de O Massacre da Serra Elétrica.
Ambientado na cidadezinha de Jerusalem`s Lot, na Nova Inglaterra, o romance conta a história de três forasteiros. Ben Mears, um escritor que viveu alguns anos na cidade quando criança e está disposto a acertar contas com o próprio passado; Mark Petrie, um menino obcecado por monstros e filmes de terror; e o Senhor Barlow, uma figura misteriosa que decide abrir uma loja na cidade.Após a chegada desses forasteiros, fatos inexplicáveis vêm perturbar a rotina provinciana de Jerusalem`s Lot: uma criança é encontrada morta; habitantes começam a desaparecer sem deixar vestígios ou sucumbem a uma estranha doença. A morte passa a envolver a pequena cidade com seu toque maléfico e Ben e Mark são obrigados a escolher o único caminho que resta aos sobreviventes da praga: fugir.Mas isso não será tão simples, os destinos de Ben, Mark, Barlow e Jerusalem`s Lot estão agora para sempre interligados. E é chegada a hora do inevitável acerto de contas.
Autor: Stephen King

CLIQUE B PARA BAIXAR

Manual Prático do Vampirismo
Próxima Página
Voltar ao Índice

0 comentários:

Postar um comentário

TERMOS DE USO

Termo De Uso. VAMPIRO A ETERNIDADE DA SOLIDÃO não hospeda e não faz upload de nenhum arquivo, apenas indica onde encontrá-los. Todos os arquivos estão hospedados na internet, o usuário deverá estar ciente que ao baixar algum material que possua direitos autorais, deverá permanecer com o mesmo, em seu computador, por apenas 24 horas, após esse prazo, deverá comprá-lo ou apagá-lo. VAMPIRO A ETERNIDADE DA SOLIDÃO
Online Advertisingfile recovery