Subscribe
Youtube
Heart
Pessoas,
Vampiro - A Eternidade da Solidão, nasceu no Blog SM-Sem Mistério. Como nem todos gostam de ver Morceguinhos misturados com Fetiches, os blogs foram separados. Porém para quem é ligado em mais de um Fetiche, vai aqui o link direto para o SM Sem Mistério. Lembrando que trata-se de um espaço com conteúdo adulto (artigos fetichistas, filmes livros e trilhas sonoras pra baixar). Bom passeio virtual a todos.
Clique para ir
quarta-feira

Relação de Filmes


Pra quem não quer ler
o livro de Paulo Coelho que
Paulo Coelho não escreveu,
fique com
Entrevista com o Vampiro
de Anne Rici




Nos Próximos Posts
Leia na integra o incrível livro
Manual Prático do Vampirismo
de Paulo Coelho

Neste post
Entenda a incrível história do Livro Manual Prático do Vampirismo
Inacreditávelmente assinado pelo Sir Paulo Coelho
Sem ele ter escrito uma palavra sequer.

Leitores, não vou ter o trabalho de falar isto ou aquilo de Sir Paulo Coelho, muito menos sobre sua raríssima obra intitulada "Manual Prático do Vampirismo". Torna-se absolutamente desnecessário quando o Biógrafo do Autor, Fernando Moraes (entre outras, ex-secretário da cultura do estado de São Paulo) já falou tudo na biografia em vida, pra lá de colaborada e assinada em baixo por Sir Paulo Coelho.

Vou resumir o conteúdo abaixo, que consta do Livro de Fernando Moraes "O Mago" - biografia autorizada por Paulo Coelho, Editora Planeta - 2008


Sir Paulo Coelho & Fernando Morais


O Resumo da ópera é:
Sir Paulo Coelho não escreveu uma única página, um único parágrafo, uma única sílaba do "Manual Prático do Vampirismo"



Não leitor, não sou eu que digo ou concluo isso, apenas transcrevo:

Trechos do livro,



"O Mago "


A incrível história de Paulo Coelho...

de Fernando Morais

Editora Planeta, 2008





Páginas 443, 444, 445, 446, 447
é só abrir na livraria ou biblioteca, que encontrará:



página 443/444


Diálogo entre o Repórter Nelson Liano Jr e Ernesto Emanuelle Mandarino (dono da Editora Eco):

Liano - "O cara se chama Paulo Coelho e é formado em Vampirismo na Inglaterra"... "vampiros. Você não acha que isso pode dar um livro"

"Mandarino arregalou os olhos: - Vampirismo? Isso parece coisa de cinema. Será que vende livro?"

....
De mandarino para Paulo:

- "Se você Escrever um livro sobre vampiros a Editora Eco publica"

E Paulo:

-"Eu topo se o Nelson Liano aceitar escrevê-lo comigo, a quatro mãos."


..."Negócio fechado. Os dois saíram de lá comprometidos a entregarem à Eco os originais de um livro intitulado Manual Prático do Vampirismo. A obra seria organizada em cinco partes sendo a primeira e a quinta escritas por Paulo, a segunda e a quarta por Liano e a terceira dividida entre os dois."


..."Com a presunção de um Best seller, na hora de assinar o contrato, Paulo exigiu mudanças no modelo que a editora adotava com todos os outros autores. Preocupado com a inflação queria prestação de contas mensais, e não trimestrais. Além disso, embora coubesse a Liano escrever metade do livro, mais a edição de texto final, Paulo ditou o seguinte adendo para a secretária de Mandarino datilografar no pé do contrato:

constará na capa apenas o nome de Paulo Coelho, sendo que no frontispício entrará, abaixo do título, produção de Nelson Liano Jr.

Em bom português, Liano ia escrever metade do livro e editá-lo inteiro e apenas apareceria como produtor (e ainda assim nas páginas internas) E, conforme um adendo final proposto por Paulo, receberia apenas 5 por cento dos direitos autorais (isto é, 0,5 por cento do preço de capa...)"
"...ficando os 95 por cento restantes com o parceiro."

"... No prazo marcado, porém, só Liano entregou seus capítulos. Alegando excesso de trabalho na Shogun, Paulo não tinha escrito uma única sílaba da parte que lhe cabia."

"... Só depois de muita pressão e de ver todos os prazos estourados é que ele afinal entregou seu texto a Eco. Na útima hora, talvez arrependido da injustiça que cometia com o parceiro, autorizou a inclusão do nome de Liano na capa - ainda que em corpo pequeno, como se ele fosse não o co-autor, e sim um coadjuvante."



Capa original, com as exigência de Sir Paulo Coelho

página 446/447

"...Certamente nenhum daqueles convidados que circulavam pelo Lobby do Glória bebericando vinho e sobraçando exemplares do livro recém-autográfado sabia que, embora seu nome aparecesse na capa com muito mais destaque do que o de Liano, Paulo não escrevera uma só palavra, uma única sílaba das 144 páginas do Manual. O autor jamais revelaria que, pressionado pelos prazos e sem ânimo pra cumprir o prometido, resolveu contratar secretamente alguém para realizar a sua parte.

A escolha recaiu sobre um singular mineiro chamado Antônio Walter Sena Júnior, conhecido no mundo esotérico pela acunha de Toninho Buda."

"...Honradíssimo com a possibilidade de ver seu nome impresso junto com o de Paulo Coelho em um livro, Toninho aceitou a tarefa em troca -do equivalente ao preço de um almoço num restaurante barato de Copacabana - como diria depois. Escreveu um por um todos os capítulos que cabíam a Paulo e no dia combinado um envelope vindo de Juiz de Fora deixava na caixa de correio da Shogun os originais que faltavam para o livro ser impresso."

"...No dia 25 de abril de 1986, uma sexta-feira, Toninho Buda encontrava-se em Juiz de Fora com uma perna engessada e outra enfaixada, ainda convalecendo de um atropelamento que sofrera semanas antes. Sentiu um golpe ao ler em uma coluna do jornal do Brasil que, naquela noite, Paulo Coelho autografaria no Glória seu novo livro, Manual Prático do Vampirismo. Achou uma indelicadeza não ter sido sequer convidado para o lançamento..."

"...decidiu participar do lançamento de um livro que, afinal, era seu também. Seguiu até a rodoviária, tomou um ônibus e, depois de duas horas na estrada, entrou no Rio de Janeiro com o dia já começando a escurecer. Atravessou a cidade de taxi e, escorado na bengala subiu lentamente os quatro degraus de mármore branco da entrada principal do Hotel Glória. Só então percebeu que tinha sido o primeiro a chegar; além das funcionárias da editora, que empilhavam livros sobre um móvel, não havia mais ninguém ali, nem mesmo o autor. Aproveitou para comprar seu exemplar - além do convite, tampouco recebera um exemplar de cortezia - e sentou-se em uma poltrona no fundo do salão para lamber a cria em paz. Admirou a capa, percorreu com os olhos as primeiras páginas, o fontispício, as duas orelhas... Nada. Seu nome não aparecia em lugar nehum daquele livro - do qual metade havia sido integralmente escrita por ele."

E Toninho fala pra Paulo quando ele finalmente chega sorridente para o lançamento, acompanhado da mulher Chris, Liano e Mandarino:
"...-Porra, Paulo! Você não botou meu nome no livro, cara! Foi a única coisa que te pedi! A única coisa que eu te pedi cara!

Paulo fingiu não entender, pediu para ver um exemplar do Manual, folheou-o com os dedos e lamentou:

- É verdade, Toninho. Não puseram seu nome. Mas eu te prometo: vou mandar fazer um carimbo com seu nome e vamos carimbar toda a primeira edição. Nas próximas eu corrijo. Nesta vamos carimbar livro por livro. Me desculpe.

Mesmo desolado, toninho Buda não estava interessado em azedar a festa do outro e achou melhor encerrar aquela conversa por ali:

- Paulo, eu não sou idiota. Não vem com essa conversa de carimbo comigo cara. Vai pro teu lançamento , que tá cheio de gente aí querendo autógrafo. Vai lá que eu vou-me embora, cara."


...........................................


Os dois neurônios de Mestre Yago concluem que:


Meu cérebro não é um dos melhores, mas depois de horas de profunda reflexão, concluo que: O Manual Prático do Vampirismo foi escrito por: Nelson Liano Jr. e Toninho Buda. O mais perto da criação do livro que Sir Paulo Coelho chegou, foi sorrir e escrever seu nome no frontispício pra quem comprou um exemplar no Lançamento do Livro no badalado Hotel Glória.


Possível capa carimbada com o nome de Toninho, ou, o mais provável, uma segunda tiragem com o nome de Toninho Buda acrescido.



Você pode encontrar num sebo a versão assinada apenas por Nelson Liano Jr em:
RARIDADE LIVROS RAROS

veja anúncio

MANUAL PRÁTICO VAMPIRISMO - PAULO COELHO

Informações do produto

1ªEDIÇÃO
PAULO COELHO

Disponibilidade: Entrega Imediata

R$ 290,00

Mais informações sobre este produto
MANUAL PRÁTICO DO VAMPIRISMO - PAULO COELHO
1ªEDIÇÃO - 2ª TIRAGEM

PROIBIDA A REEDIÇÃO A MANDO DO ESCRITOR

SOB O PSEUDÔNIMO DE NELSON LIANO JR

VEJA O QUE O SITE OFICIAL DO ESCRITOR DIZ À RESPEITO DA OBRA: "Como fazer para encontrar "O Manual Prático do Vampirismo"? Este livro está com sua reedição proibida, não consegui explicar bem o mito do vampiro. Foi publicado em 1986, recolhido em 1987, e jamais será republicado."

Anuncio retirado de:

Raridades livros Raros

Manual Prático do Vampirismo
Voltar ao Índice


...................
BAIXANDO O LIVRO

"Entrevista com o Vampiro"

Interview with the vampire (1976)





Em 1976 foi publicado o livro que mudaria para sempre o universo vampírico: Entrevista com o Vampiro, fruto da criatividade de Anne Rice, uma escritora que aos 35 anos já havia passado por algumas das maiores perdas pessoais que alguém pode sofrer.
Anne Rice criou vampiros com uma vida interior rica, cheios de questionamentos filosóficos e com uma elaborada apreciação estética e artística, e com eles fez escola. Depois do surgimento do angustiado Louis e do amoral Lestat, nunca mais os vampiros foram os mesmos.
Entrevista com o Vampiro é o primeiro volume da série denominada Crônicas Vampirescas, que tem, entre outros, o mérito de não apelar para o recurso fácil da violência e do sangue gratuitos, característicos de boa parte da produção de horror? livros, quadrinhos e filmes que em geral nada acrescentam de novo ao gênero e que têm finalidade puramente comercial. Em Entrevista com o Vampiro, um jovem repórter grava, nos dias de hoje, o depoimento em que o vampiro Louis Pointe du Lac narra sua vida. Louis, um ex-proprietário rural de Nova Orleans, foi vampirizado em finais do século XVIII por Lestat de Lioncourt, um vampiro fascinante que, vindo de Paris para a Louisiana, torna-se o primeiro vampiro europeu em solo americano.






Clique na página vampiresca para baixar o livro


Manual Prático do Vampirismo
Voltar ao Índice
[Ler mais...]


Manual Prático Do Vampirismo

Paulo Coelho e Nelson Liano Jr.






Manual Prático do Vampirismo


Índice

post 01


post 03
post 06


Segunda Parte: O Vampirismo Astral.

Você Já Tentou Ler Através do Espelho do seu Próprio Retrato
post 11


Terceira Parte: Vampirismo de Sangue.
Sexo, Sangue e Vampirismo.
post 18


Quarta Parte: Esconjurações, Salmos, Ladainhas, Litanias e Exorcismos Para Afastar um Vampiro.


Esconjuração Forte Contra os Vampiros
post 20
post 27



Quinta Parte: O Estranho Caso de Mata Ulm.

Numa Cidadezinha da Espanha
post 33

post 34

Dicíonário
post 35








Manual prático do Vampirismo
[Ler mais...]

post portal
para o filme
A marca do vampiro (1935)


Post 01
Manual Prático do Vampirismo (cont...)

APRESENTAÇÃO

Na noite de 5 de maio de 1985, cansados de uma longa escalada ao cume do Pico da Bandeira, eu e Nelsinho resolvemos passar a noite num misterioso hotel situado a alguns quilômetros do abrigo de alpinistas. Nós pretendíamos dormir assim que o jantar acabasse, mas um outro hóspede do hotel mudou nossos planos.

Sentando-se em nossa mesa, sem a menor cerimônia, o hóspede - que se apresentou como um finlandês, mas cujo sotaque lembrava alguém dos Balcãs - disse que se chamava Flamínio de Luna, e que tinha lido numa revista uma reportagem sobre meu interesse por vampiros. Afirmou que tinha sido testemunha de um caso de vampirismo com alguém que amava, e por causa disso havia jurado fazer todo o possível para desmascarar o mito - criado pelos próprios vampiros - de que tais criaturas não existem. Durante anos pesquisou suas origens históricas, suas raízes no mundo de hoje, e as fórmulas para identificar e combater um vampiro. Alto, cabelos brancos, vestido com muito mais elegância do que o lugar ermo onde nos encontrávamos permitia, Flamínio a todo momento lamentava a perda de Mata Ulm (cuja história vai contada na Quinta Parte desse livro), afirmando ter sido este seu único amor nos muitos anos de existência. Durante horas a fio ficamos ouvindo, fascinados, aquilo que nos parecia ser uma grande esquizofrenia, mas uma esquizofrenia inteligente, onde as menores peças faziam sentido.

No dia seguinte procurei Flaminio de Luna para conversarmos mais sobre o tema, mas soube que ele havia partido. O caso não teria passado de uma bela história para contarmos aos nossos amigos, quando recebi - duas semanas mais tarde - o manuscrito de O MANUAL PRÁTICO DO VAMPIRISMO. O pacote, entregue pelo correio, não trazia o endereço do remetente.

Meses depois, por acaso, encontrei no jornal CORRIERE DE LA SERA uma notícia surpreendente, a respeito de uma série de assassinatos ocorridos em Palermo, na Sicilia. As vítimas eram encontradas com a garganta aberta, e sem um pingo de sangue. Apesar das autoridades locais atribuírem os crimes a uma vendetta da Máfia, grande parte dos habitantes - principalmente os mais velhos - juravam que tudo aquilo era obra de um feiticeiro, nascido em 1815, e do qual não se tinha notícia de haver morrido. Seu nome: Flamínio Di Luna.

Pela descrição dos habitantes de Palermo, quero acreditar que o finlandês do hotel e o assassino de Palermo são a mesma pessoa. Neste caso, Flamínio (ou Flaminius) pertence aquela categoria de pessoas que se rebelaram contra a própria natureza, mas não tem meios (ou coragem) para se libertarem dela. Fornecendo a pista correta para sua destruição, Flamínio deixa aberta a porta de seu renascimento.
Mais uma coisa: pedimos ao leitor que se aventurar por estas páginas, que seja muito prudente ao tentar colocar em pratica qualquer ritual aqui descrito. Depois da conversa com Flamínio de Luna, não me custaria nada afirmar que os vampiros existem.

PAULO COELHO






PREFÁCIO

Este livro de Nelson Liano Jr. em parceria com Paulo Coelho, que há muito vem estudando este obscuro setor do ocultismo que é o Vampirismo, é sem dúvida um gratificante exemplo de uma pesquisa séria para além dos umbrais do materialismo que, dominando e envolvendo o mundo contemporâneo, nele propaga culturalmente um certo desleixo para com uma missão mais espiritual dos fatos e da vida.

Os autores nos mostram, através da temática que tão bem dominam, quanto o homem contemporâneo necessita libertar-se da prisão das aparências através de uma atitude mental sadia e guerreira (samurai), segundo a qual, por sua vontade, possa desenvolver uma condição mais criativa no mundo, sem deixar-se dominar pelo emocional.

Em boa hora chega este livro, tão necessário ao homem moderno, passível de vampirizar-se a si mesmo pelo desânimo diante de uma civilização em que vencer significa dominar seus semelhantes, e a revolta dos oprimidos leva o nome de subversão. Porque vampiro como bem colocam os autores é aquele que nem aceita carregar sua cruz e viver dignamente e o seu destino evolutivo, nem aceita morrer. Suspenso em um limbo nem de vida nem de morte, alimenta com a energia do sangue alheio, uma elegante aparência de saúde.

Assim, com forte vigor cultural e poético, o vampiro nos é apresentado, neste livro, como um ser que, revestido de sua própria solidão rompe esta lei natural do cosmos, que é a constante troca energética entre as diversas manifestações da Vida.

Pautado em vários anos de estudos e pesquisas, este livro nos adverte quanto aos benefícios de uma vida sadia, sintonizada segundo um comportamento ético e é um bem-vindo exemplo de que o, para mitos, insólito enfoque (de um estudo) ocultista, tem uma contribuição prática e filosófica inestimável para a compreensão do cotidiano, e principalmente para uma corajosa atitude de luta em favor dos mais nobres valores da humanidade, numa época em que o progresso científico e tecnológico tem lançado o ser humano diante de um tão grande leque de opções em todos os sentidos, determinando, em função de interesses políticos e econômicos, um outro tipo de vampirismo, em que certa confusão mental pode levar a uma indiferença emocional e à descrença, culminando com a atitude de tantas pessoas que é a de temer a morte e portanto não se engajar na vida, como qualquer vampiro.

Neste "Manual Prático do Vampirismo", Paulo Coelho, resumindo sua trajetória de estudioso vampirólogo, irmana-se com Jean-Paul Bourre, pesquisador de Vlad Drácula (O Drácula de Bram Stoker) a cuja contribuição acrescenta imparcialidade, a ele nivelando-se em liberdade de pensamento e conhecimento.


Recomendações

Eu, KAANDA ANANDA, recomendo este livro a todos livre pensadores, - livres para voar e morrer nas alturas, donde, projetando-se com os raios do sol, venham a renascer cada vez mais luminosos.
Parabéns ao Grande Shogun Paulo Coelho e ao dedicado Nelson Liano Jr.
KAANDA ANANDA
--------------------------------------------------------------------


Vampiros

Os vampiros são às vezes bons e às vezes maus. E às vezes bons e maus!
Os vampiros segundo alguns são seres extraterrestres que viajam em discos voadores invisíveis. Segundo outros, os vampiros são antigos seres humanos sábios, espécie de mandarins-gurus que obtiveram grandes e eficazes resultados quanto à longevidade, atingindo assim a vida eterna, velha meta dos taoistas e de vários outros magos tanto do Oriente quanto do Ocidente!
Ainda sobre os vampiros: eles além de serem tão eternos (e nisto realizam uma das metas fundamentais do marxismo! que segundo Jean Paul Sartre é a meta da conquista das estrelas e a conquista da morte!) são também o pilar pi-Freudiano da bi-sexualidade!
Os dois autores desse livro são meus amigos, e portanto somos três Vampiros?
E/ ou proto-vampiros que vos escrevem e que declaram em uma Nova Solidariedade!
Vampiros do mundo todo!
UNI-VOS!
JORGE MAUTNER


Manual Prático do Vampirismo
Próxima Página
Voltar ao Índice




BAIXAR O FILME


Mark of the Vampire (1935)
A Marca do Vampiro


Sinopse
Após o misterioso assassinato de Sir Karell, foi sustentada a tese de que um vampiro o matou, pois lhe faltava sangue e marcas haviam em seu pescoço. Com isso o Professor Zelen (Lionel Barrymore) vai até a mansão um ano após, para tentar desvendar o mistério. Logo, se descobre que um castelo próximo foi alugado, e que a assinatura do contrato é a mesma de Sir Karrell (já falecido). Após ataques à Irena, filha de Sir Karrell e única herdeira da fortuna, eles desvendam que o Conde Mora (Bela Lugosi) e sua filha estão no castelo, e Sir Karrell também é um vampiro assim como eles..

Diretor: Tod Browning
Roteiro: Guy Endore e Bernard Schubert
Produção: Tod Browning
Elenco: Lionel Barrymore (Professor Zelen); Elizabeth Allan (Irena Borotyn); Bela Lugosi (Conde Mora); Lionel Atwill (Inspetor Neumann); Jean Hersholt (Barão Otto); Henry Wadsworth (Fedor Vencenti) e Carroll Borland (Luna Mora) Ano: 1935
Duração: 60min.
Audio: Inglês - Legenda: Português

Baixando o Filme pelo Rapidshare

primeira asa do morcego aqui
segunda asa do morcego aqui
acordando o vampiro - use a senha - http://farra.clickforuns.net


Manual Prático do Vampirismo
próxima página
voltar ao índice
[Ler mais...]

nest post
baixe o clássico
As Noivas do Vampiro
The Brides of Dracula (1960)



Post 02
Manual prático do Vampirismo (cont...)


Da Origem do Vampiro

O vampiro é feito das trevas, e trevas não passam de luz condensada. Daí, é preciso ter bastante cuidado quando sentar-se com estranhos na mesa, já que normalmente os vampiros são seres que passam por agradáveis e simpáticos. Chegam sob o pretexto de lhe convidar para alguma coisa, seja beber um copo de cerveja, seja resolver seu problema de itinerário

I. Das Origens do Vampirismo

Todas as Mitologias e grandes religiões concordam que a bipolaridade energética é uma constante no Universo. Sempre que existir o Bem, existirá também o Mal. Para os Gregos, no princípio era o Caos, o Ovo Primordial. Este Ovo dividiu-se em dois seguindo uma força ordenadora, Eros, formando o Céu e a Terra. Eros é a virtude atrativa que leva as coisas a se juntarem, criando a Vida. É uma força fundamental do mundo. Assegura não somente a continuidade das espécies, como a coesão interna do Cosmos. No entanto, a mesma Nuit que gerou a Terra, gerou também Tánatos - a Morte. Vida e Morte desde então são duas coisas inseparáveis para todo o sempre.

O sangue é um dos símbolos da Vida. A nossa Cultura, que é gerida no aspecto religioso pela força do Cristianismo, tem no Sangue de Cristo a grande fonte de energia que move a roda de seu destino. Tomemos o relato de S. Marcos (Cap. 14 Vs. 22 a 25) "Durante a refeição, Jesus tomou o pão e, depois de o benzer, partiu-o e deu-lho, dizendo: "Tomai, isto é meu corpo". Em seguida, tomou o cálice, deu graças e apresentou-lho, e todos dele beberam. E disse-lhe: "Este é o meu sangue, o sangue da Aliança que será derramado por muitos. Em verdade vos digo, já não beberei do fruto da videira até aquele dia, em que o beberei de novo no reino de Deus". Judas era um dos que estavam sentados à mesa. Assim como Pedro, que viria a negá-lo mais tarde, com medo da morte. Porque? Porque a morte é o grande segredo de tudo. Tanto é que a essência da transmutação ensinada por Jesus está exatamente na Ressurreição. Mas para ressurgir, é necessário que se morra antes. E na ausência cósmica do Sermão da Montanha está a direção a ser seguida por aqueles que querem tomar a própria cruz e segui-lo.

E os Vampiros? Os vampiros não querem nem uma coisa nem outra. Eles não querem nem morrer, nem obedecer a nenhum sermão e muito menos carregar qualquer tipo de cruz. Preferem continuar fazendo tudo para manter um estado de morte parcial e ressurreição parcial, alimentando-se com sangue humano mesmo, evidentemente de muito pior qualidade...
Diz a tradição que os primeiros vampiros surgiram entre os suicidas e os criminosos condenados à morte. Ou seja, pessoas que de uma forma ou de outra tiveram seu período normal de vida interrompido brusca e violentamente. Principalmente os suicidas que se arrependeram do ato quando já não havia mais tempo de voltar atrás. E tanto os suicidas quanto os criminosos eram condenados também pelo Cristianismo. Mesmo que recebessem extrema-unção, depois de mortos não poderiam passar pela Igreja e não poderiam se enterrados em "campo santo" (normalmente os cemitérios ficavam ao lado das igrejas e eram controlados por elas. Os padres eram enterrados dentro das igrejas). Segundo a tradição, a revolta contra essa marginalização, a vontade de voltar a viver e o medo de ir para o inferno criavam uma força suficientemente capaz de fazer com que esses seres não se decompusessem, não morressem totalmente e se levantassem do túmulo, à noite, por muitos motivos. Um deles é que os homens são animais de hábitos normalmente diurnos...

Mesmo assim, mesmo se protegendo na escuridão da noite e se alimentando do sangue apenas de animais domésticos e selvagens, qualquer vampiro estava condenado à extinção se não criasse condições de sobre(semi)vivência. Daí que a primeira providência instintiva de qualquer vampiro era arrumar pessoas que pudessem ajuda-lo a manter-se. Mas mesmo assim, o levante das populações enfurecidas era um perigo insuperável, com o passar do tempo. Só subsistiram ao vampiros de famílias altamente poderosas e influentes. Começaram a aparecer no final do Séc. XVI e se multiplicavam enormemente numa furiosa atividade nos séculos XVII e XVIII, principalmente nos países europeus onde era mais intenso o fervor religioso. Como já argumentamos anteriormente, esse fervor religioso inevitavelmente geraria suas grandes histórias e contradições. A Alemanha foi o país que mais sofreu com a presença dos vampiros e existem ali até hoje muitos tratados eruditos buscando a compreensão de suas atividades e a cura para seus males. No entanto, apesar da Alemanha ter tido o maior número de vítimas fatais desses seres malignos, foi na Inglaterra que surgiram os mais famosos e influentes vampiros, bem como as linhagens politicamente mais fortes e poderosas. Curiosamente, para confirmar a existência contínua da bipolaridade, foi também na Inglaterra que surgiram os maiores inimigos dos vampiros. Bem como na França e na Espanha, em menor proporção.
No entanto, temos fortes razões para crer também que estas linhagens não se extinguiram até hoje. Pelo contrário, se tornaram altamente sofisticadas e suas alianças com os poderes existentes os tornaram praticamente imunes à destruição. Não podemos esquecer que, além do poder econômico, as linhagens de vampiros que conseguiram sobreviver têm ainda a oferecer aos poderes constituídos os grandes segredos de como manter pessoas - e inclusive populações inteiras - em estado de semi-letargia e inconsciência. Os vampiros são especialistas competentíssimos na arte de criar, educar e manter mortos-vivos.

Manual Prático do Vampirismo
próxima página
Voltar ao Índice



BAIXANDO O FILME

As Noivas do Vampiro
The Brides of Dracula (1960)




Sinopse:
Marianne Danielle (Yvone Montaur) está viajando pelo Leste Europeu a fim de assumir o cargo de professora de francês em uma escola para moças na Transilvânia, agora livre da ameaça do Conde Drácula. Ela não é muito bem recebida pelos locais e acaba sendo acomodada no castelo da Baronesa Meinster, onde conhece o filho da nobre (David Peel), que vive acorrentado à parede. Com pena do jovem, Marianne decide libertá-lo sem desconfiar que ele é um vampiro. Para sorte dela, o Doutor Van Helnsing (Peter Cushing, de Guerra nas Estrelas) está por perto e promete por fim à vida de mais este ser das trevas.


Ficha Técnica:
Título no Brasil: As Noivas do Vampiro
Título Original: The Brides of Dracula
País de Origem: Reino Unido
Gênero: Terror
Duração: 96 minutos
Ano: 1960
Elenco:
Peter Cushing ... Dr. J. Van Helsing
Martita Hunt ... Baroness Meinster
Yvonne Monlaur ... Marianne Danielle
Freda Jackson ... Greta
David Peel ... Baron Meinster


Baixando o vampiro com
legendas via rapidshare




BAIXAR TORRENT E LEGENDA







Manual Prático do Vampirismo
próxima página
Voltar ao Índice
[Ler mais...]

nest post
portal para o filme
Entrevista com o Vampiro


post 03
(cont...)Manual Prático do Vampirismo


II. O Grande Pentagrama Europeu

As informações que forneceremos agora são da mais profunda significação e importância para aqueles que se interessam pelo assunto e que queiram compreender de uma forma muito mais ampla fatos históricos que deixaram atônita e desamparada toda a humanidade. Esperamos que estas informações consigam atingir o grande público, pois muitos foram os que heroicamente deram suas vidas para tentar publica-las. Elas não pretendem ser um tratado erudito sobre o assunto, mas sim fornecer indicadores seguros para aqueles que estejam na linha de frente desta luta e ao mesmo tempo dar condições de defesa aos leigos e menos informados. Vamos falar do GRANDE PENTAGRAMA EUROPEU, a estruturação de forças dos vampiros na Europa dos séculos XVII e XVIII, destinada a criar as bases de seu desenvolvimento e poderio em direção ao DOMÍNIO DO PLANETA.

A forma escolhida por eles - o PENTAGRAMA - tem sua razão de ser. As pessoas familiarizadas com o ocultismo sabem que o Pentagrama (Estrela de Cinco Pontas) é o símbolo do Ser Humano, ou seja, o Homem de braços e pernas abertos. No entanto, quando esse homem é colocado de cabeça para baixo, nós temos neste pentagrama invertido a figura do bode, com sua barbicha, as duas orelhas e os dois chifres. O bode passou a representar o diabo, a partir de um determinado momento histórico. No princípio ele era PAN, o deus da música e da flauta, dos gregos... Mas isso é uma outra história, da qual um dia gostaríamos de ter oportunidade de falar. Certo é que o Grande Pentagrama Europeu é invertido, tem sua ponta inferior (a barbicha) em Londres e seu eixo vertical é a linha reta que une Londres a Jerusalém! Os motivos são óbvios, para qualquer pessoa que consulte o mapa a seguir. Em Jerusalém nasceu Jesus, a grande Energia que os vampiros odeiam e lutam por destruir e neutralizar. As outras pontas do pentagrama são as cidades de Berlim, Madri, Bucareste e Palermo. Paris e Roma também se encontram na área coberta pela estrela nefasta. Nestas cidades foram criados núcleos de força dos vampiros. Estes núcleos atuam de forma poderosa, utilizando todos os meios possíveis à disposição. Desde forças políticas quanto econômicas, mágicas, científicas, cósmicas, religiosas, etc. Na Itália, a cidade escolhida foi Palermo, ao invés de Roma, pois em Roma seria impossível a manutenção de um núcleo por muito tempo... Madri é capaz de captar energias da Espanha e Portugal e Londres é capaz de captar a Escócia, Irlanda e suas ilhas.

O GRANDE PENTAGRAMA EUROPEU continua vibrando energias para a Terra até hoje. Sua influência oscila bastante ao longo dos anos. Atualmente estamos em um período de relativa calmaria. Mas o futuro é imprevisível.III. As Principais Dinastias de Vampiros

Para a constituição do Grande Pentagrama Europeu, reuniram forças principalmente as dinastias de seis ramos principais: Britânico, Germânico, Francês, Espanhol, Romeno e Itálico. Os mais fortes, evidentemente, foram o Britânico e o Germânico. Falaremos um pouco de cada um deles, bem como das principais forças que apareceram para combatê-los. Evidentemente que o PENTAGRAMA sofreu com profundas LUTAS INTERNAS. Principalmente entre Londres e Berlim. A nível político mundial, o pentagrama pode ser tomado como Londres e Berlim ocupando as pontas dos dois "chifres" do bode. Nessas condições, Roma ocupa a "barbicha". Bucareste, na Romênia, capta energias da Rússia. Mas passemos aos Ramos de Dinastias.


1. O Ramo Britânico

O ramo britânico constituiu-se principalmente de quatro dinastias: Von Born (Transilvânia), Birmingham (Lancashire), Kingsford (Manchester) e Mc Bell (Londres). À dinastia Von Born, da Transilvânia, pertenceu um grande amigo de Mozart, Ignaz Von Born, nascido em Karlsburg em 1742 e morto em Viena em 1791. Não era um vampiro. Pelo contrário, trabalhou profundamente contra a proliferação desses seres. Só mais tarde veio a saber que seu primo Theodore Von Born o era. Ele próprio se encarregou de eliminá-lo. O vampiro mais famoso dessa linhagem foi o Conde Charles von Born, identificado como tal e morto em 7 de julho de 1815.


O Cristianismo Esotérico na Távola Redonda

A maior e mais antiga força de combate ao vampirismo na Inglaterra surgiu com o Cristianismo Esotérico presente nos escudos de armas da Ordem dos Cavaleiros da Távola Redonda, que cultivava a lenda do SANTO GRAAL, que conteria o Sangue de Cristo. O maior sonho de grandes vampiros foi a descoberta e destruição do Santo Graal. É a lenda (?) mais importante da Inglaterra. O Rei Artur teria existido na primeira metade do séc. VI, na região de Windsor.

Se Francis Bacon realmente foi o mesmo Conde de Saint Germain, não nos cabe afirmar. Certo é que o "Príncepe Rakoczy da Transilvânia" ou Conde de Saint Germain (1710/1784) foi a mais preeminente figura do ocultismo ocidental. Está cercado de um halo de lenda e mistério. É considerado um "homem que nunca morre". É provavel que seja o ser humano atualmente em atividade na face do planeta que realmente tenha entendido a essência da mensagem Crística e a tenha colocado em prática, dominando a morte de uma forma completamente oposta aos vampiros. A lenda lhe atribui vários séculos de idade. Onde quer que apareça, promove curas e possui faculdades paranormais além de qualquer coisa conhecida. Como grande ativista da Sociedade Branca consagrou-se ao progresso e elevação da humanidade.

Mais recentemente, Annie Besant (1847/1933) dedicou grande parte de sua obra ao esclarecimento de como enfrentar o vampirismo. Ela é continuadora da obra de Helena Blavastky e seria uma das reencarnações de Giordano Bruno. Sua profunda relação com a Índia trouxe consideráveis esclarecimentos ao problema dos mortos vivos com os estudos feitos junto a grandes faquires como Thara Bey. Thara Bey era egípcio e membro da seita dos coptas cristãos. Estudou medicina em Constantinopla. A Sociedade Teosófica, foi fundada por Helena Blavatsk em 17 de novembro de 1875.

Entre os mais influentes vampiros estão o Visconde Dicson Birmingham, que chegou a pertencer à Maçonaria Inglesa e foi morto em março de 1793, e o Barão Aurelius Kingsford - um dos autores da manobra para neutralizar Francis Bacon. Aurelius Kingsford desapareceu sem deixar rastros, após ser identificado publicamente como vampiro.


2. O Ramo Germânico

As duas principais dinastias germânicas são o Emmerich (Stuttgart) e Haushoffer (Berlim). O maior dos antigos vampiros alemães chamava-se Johhan Valentinus Andreae (Wurtemberg 1586, Stuttgart 1654). Pertence à dinastia dos Emmerich. Foi diácono luterano em Vaihingen (1614) e superintendente da cidade de Kawl, cargo que teve que abandonar por causa da Guerra dos Trinta Anos. Introduziu grande confusão nos debates rosacruzes da época. Pertencia à Ordem e politicamente era necessário a seus interesses que ela se desorientasse. Escreveu "Turis Babel Sive Judiciorum de Fraternitate Rosae-Crucis Chaos", relativa aos julgamentos sobre a fraternidade. Tudo indica que a egrégora da Ordem conseguiu elimina-lo para sempre da face do planeta.

Da linhagem antiga da dinastia Haushoffer, o maior representante é, sem dúvida o Conde Benedict Carpzov Haushoffer (Wittenberg 1595, Leipzig 1666). Curiosamente é o autor do Maleus Maleficarum dos protestantes, chamado "Practica Nova Imperialis Saxonica Rerum Criminalum (1635). Suas obras exerceram grande influência nos processos de bruxaria e firmou milhares de sentenças de morte. Alimentava-se tranquilamente do sangue de suas vítimas, acobertado pelo cargo público; pois era Chanceler Privado em Dresde e membro da faculdade de jurisconsultos de Leipzing.

Outro grande combatente do vampirismo na Inglaterra foi o astrólogo, alquimista e historiador Elias Ashmole (1617/1692), figadal inimigo da dinastia dos Mc Bell. Ocupou vários cargos públicos na corte de Carlos II. Editou um tratado alquímico chamado The Waiss to Bliss (1658), onde cita fórmulas de neutralizar a força dos vampiros.

Não poderíamos deixar de citar também o Barão de Verulam, (1561/1626) também conhecido como FRANCIS BACON, considerado antecessor direto de Newton e Galileu. É possível que tenha sido Rosenkreutz, o Conde de S. Germain e uma grande controvérsia ainda existe para provar se ele realmente escreveu ou não os dramas de Shakespeare. Ao perseguir elementos da dinastia de vampiros Birmingham foi vítima de uma manobra política e acusado de peculato (desvio de verbas) tendo que abandonar o cargo e interromper sua luta. Ocupa o cargo de Lorde-Chanceler na Suprema Magistratura.Post 03


Manual Prático do Vampirismo


BAIXAR O FILME


Interview with the Vampire
Entrevista com o Vampiro (1994)




Sinopse permitida pelo Vampiro
Em pleno século XX, um vampiro concede uma entrevista a um jovem repórter, contando como foi transformado em uma criatura das trevas pelo vampiro Lestat, na Nova Orleans do século XVIII. Dirigido por Neil Jordan (Traídos pelo desejo) e Tom Cruise, Brad Pitt, Antonio Banderas, Stephen Rea, Christian Slater e Kirsten Dunst no elenco. Recebeu 2 indicações ao Oscar.


Ficha Técnica:
Título Original: Interview with the Vampire:
Gênero: Suspense
Duração: 122 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1994
Direção: Neil Jordan
Roteiro: Anne Rice, baseado em livro de Anne RiceProdução:
Música: Elliot Goldenthal
Elenco:
Tom Cruise (Lestat de Lioncourt); Brad Pitt (Louis de Pointe du Lac); Antonio Banderas (Armand); Stephen Rea (Santiago); Christian Slater (Daniel Malloy); Virginia McCollam (Prostituta); Kirsten Dunst (Claudia); Thandie Newton (Yvette).


Baixando o filme

Clique no vampiro e encontre
a película por sua conta e risco



Manual Prático do Vampirismo



[Ler mais...]



nest post

portal para o filme sueco
deixe ela entrar
não deixe de assistir





Post 04
o Manual prático do Vampirismo (cont...)


Os Alquimistas Fausto e Goethe


Fausto - o personagem que inspirou Goethe a escrever a obra prima da Cultura Alemã - teve existência real. Foi um mago do Séc. XVI famoso na lenda e na literatura. Existem provas suficientes de sua existência através de citações de J. Trithemius (1462/1516), K. Mudt (1513) e J. Wierus (1515/1588), que falam dele desdenhosamente, tratando-o como charlatão. J. Gast, no entanto, em seus "Sermones Convivales" (1543), atribuiu-lhe poderes sobrenaturais. Era astrólogo, alquimista, quiromante e advinho. Sua história foi contada 30 vezes antes de Goethe, em forma de romance de cordel. Somente Goethe conseguiu conferir-lhe universalidade suficiente para torna-la um dos grandes mitos universais eternos, símbolos da inquietude e ambições humanas. Já Goethe foi um dos maiores poetas líricos da humanidade e um dos grandes gênios de todos os tempos, ao lado de Da Vinci, Galileu e Kepler. Filiou-se à Maçonaria em Weimar em 1780. Nasceu em 1749. A vida de ambos - Fausto e Goethe - é uma mistura de ficção e realidade, onde um pacto de sangue com o demônio em troca da juventude (motivo central da obra "Fausto") é o arquétipo que representa a essência do desejo de qualquer vampiro. Cabe a Mefistófeles decidir se concede ou não o privilégio. Este detalhe é importante: um vampiro não tem nunca um poder como o de Mefistófeles. Apesar de poder pactuar com ele, como qualquer ser humano...


Vampirismo e Nazismo

À dinastia Haushoffer pertenceu também o General e ocultista alemão Karl Haushoffer (1869/1946). Foi iniciado numa lamaseira Tibetana. Defendia a tese segundo a qual a raça indo-germânica asseguraria a permanência e grandeza do mundo. Foi apresentado a Hitler por R. Hess e teve atuação marcante na implantação das doutrinas esotéricas nazistas. Foi o diretor do grupo ocultista Thulé e instituiu a CRUZ SUÁSTICA como emblema do regime. Foi discípulo direto de Gurdjieff e o apresentou a Hitler. Assassinou a própria esposa em circunstâncias misteriosas em 1946, desaparecendo em seguida...

O sucessor do vampiro Karl Haushoffer no grupo Thulé foi Hanussen, misterioso ocultista que desempenhou um importante papel no Terceiro Reich. Teria sido um emigrante judeu que se instalou de forma meteórica entre a elite berlinense. Dirigiu sessões públicas de hipnotismo e telepatia. Ao grupo Thulé, dirigido por ele, pertenciam Hitler, Himmler, Goering e outras autoridades nazistas. Desapareceu em 1933, deixando notáveis contribuições para o regime. Na área política contribuiu com técnicas de propaganda subliminar e hipnótica. Na área da alimentação, com a transformação e conservação de sangue e carne humanas para enlatados.

Manual Prático do Vampirismo


BAIXAR O FILME

Deixe Ela Entrar (2008)
'Let the Right One In'




Sinopse

O terror sueco 'Let the Right One In' (que chega por aqui com o título 'Deixa Ela Entrar') .
'Deixa Ela Entrar' conta a história de um menino sueco de 12 anos que é vítima de ameaças na escola e apanhando dos colegas no colégio. Ele vive imaginando e sonhando em um dia se vingar deles, mas só faz mesmo é continuar apanhando. Até que ele conhece e se apaixona por Eli – sua nova vizinha- , uma vampira que aparenta ter sua idade e que o instiga a lutar contra seus opressores.


Ficha Técnica

Título original: Låt den rätte komma in
Pais de Origem: Suécia
Gêneros: Drama, Terror, Romance, Thriller
Tempo: 114min
Ano: 2008
Direção: Tomas Alfredson
Roteiro: John Ajvide Lindqvist
Elenco:
Kåre Hedebrant (Oskar)
Johan Sömnes (Andreas)
Patrik Rydmark (Conny)
Cayetano Ruiz (Magister Avila)
Pale Olofsson (Larry)
Anders T. Peedu (Morgan)
Karl-Robert Lindgren (Gösta)




Quer baixar a película?... hummm ???!!!!

Clic nos Vampiros são o Filme













Clic nas Vampiras são as Legendas








Manual Prático do Vampirismo

[Ler mais...]

nest post
um pouco de erotismo
Female vampire/Les avaleuses (1973)
Feminino Vampiro




Post 05
Manual pratico do Vampirismo (cont...)




3. O Ramo Francês

O notável cientista e biólogo francês Alexis Carrel (1873/1944) também tratou da conservação de tecidos humanos, mas de uma forma completamente diferente dos nazistas. Fez culturas de tecidos VIVOS fora do corpo humano, criou o primeiro coração artificial e implantou o fluido Carrel-Dakin para o tratamento de ferimentos. Sua obra mais importante chama-se "O Homem, Esse Desconhecido".

As duas principais dinastias de vampiros franceses são De Rais (Nantes) e Du Fleur (Paris). O mais famoso representante da dinastia De Rais é o militar Barão Gilles de Rais, eleito para acompanhar Joana D'Arc a Orleans, participou de várias batalhas ao lado dela. Possuía grande fortuna, mas recorreu à alquimia para tentar mantê-la quando começou a empobrecer. Nisso conheceu vários nigromantes e mergulhou na magia negra. Em 1440 respondeu a processos por diversos assassinatos e confessou ter matado mais de cem rapazes em rituais macabros, onde, entre outras coisas, lhes bebia o sangue. É o mais famoso vampiro da história da França. Da dinastia Du Fleur o maior representante é o conde Antoine Du Fleur (1521/...). Chegou a ocupar o cargo de procurador-geral na corte de Charles IX. Co-participou do grande massacre da Noite de S. Bartolomeu. Diz a tradição que preferia o sangue de recém-nascidos ainda não batizados, o que conseguia através muitas vezes da violência. Matou centenas de crianças para sugar-lhes o sangue. Era apoiado pelo rei Charles IX (1550/1574), que ocupou o trono da França de 1560 até a morte. O rei mantinha no Louvre uma escola de nigromancia e após ter comandado o massacre de S. Bartolomeu tinha pesadelos acordado, onde via corvos com a plumagem manchada de sangue perseguindo-o...

O mais antigo personagem a combater na França os morcegos que voejavam em torno da Catedral de Notre Dame foi Jacques de Molay, morto em Paris em 1314. Foi o último grandemestre da Ordem dos Cavaleiros Templários, na qual ingressou por volta de 1265. Foi vítima de uma conspiração do Papa Clemente V e o Rei da França e terminou executado junto com outros cavaleiros templários. Existe extreita relação entre a Maçonaria e a Ordem dos Templários.

O combate astral aos vampiros na França tem como maior expressão o investigador metapsíquico e escritor Gabriel Delanne (Paris 1857/1926). Conseguiu eliminar definitivamente do plano astral o espírito vampiro de Leonora Galigai (morta em Paris em 1617), acusada de enfeitiçar Maria de Médicis. Fogueira.



4. O Ramo Espanhol

Também duas dinastias se destacam no Ramo Espanhol do Grande Pentagrama Europeu. A dos Villa Nova (Sevilha) e dos Iglesias (Madri). O grande vampiro Arnaldus de Villa Nova (1235/1313) era astrólogo, alquimista, médico e naturalista. Estudou alquimia, física, filosofia árabe e medicina em Paris. Foi perseguido pela Inquisição. Desapareceu misteriosamente quando viajava para Avinhão, a chamado de seu amigo o Papa Clemente V. Os inquisidores sabiam que se tratava de um vampiro. Suas viagens eram normalmente para contatos com outros mortos-vivos.

Amarildo Fuentes Iglesias (1355/1416) e Berthold Iglesias (1527/1577) foram também expoentes políticos em suas respectivas épocas, distantes entre si quase um século, mas dentro da mesma dinastia. Diz a tradição que o segundo - Berthold - foi um dos grandes incentivadores das touradas e chegou a sugerir outros espetáculos mais sangrentos aos governantes espanhõis. Quanto aos seus espetáculos particulares, eram particularmente sangrentos...


Manual Prático do Vampirismo


BAIXANDO O FILME

Female Vampire (les Avaleuses)
1973
Feminino Vampiro




Sinopse

A bela e muda Condessa Irina Karlstein padece do mesmo mal que há séculos consome seus ancestrais: o vampirismo. Mas, diferente dos vampiros tradicionais, Irina tem o hábito de sugar a energia vital de suas vítimas através do sexo oral..
"Porquê, porquê, porquê sim. Todo este tempo, nuncaterminando este momento. O horário de tristezas ealegrias, de solidão e medo no frio caixão, perdemosprofundo no mausoléu. Minha implacável destinolevou-me para ser um maravilhoso , Que também se tornou uma vítima. Eu ter-se tornado o seu juiz etambém o seu algoz involuntário, para nada podeparar a marco de destino."Condessa Irina Karlstein (Lina Romay)





ELENCO:
Lina Romay, Jack Taylor, Alice Arno, Monica Swinn Outras Estrelas:
Jesús Franco (como Jess Franck)
Director: Jesús Franco)




Nota:(Filme Bruto, sexo Verdade, violência gráfica)
encarado a vampira erótica explícita
pelo rapidshare


A vampira colocou uma senha para descompactar o arquivo
ducksoup



Manual Prático do Vampirismo





[Ler mais...]

nest post
baixe o livro

a Hora do Vampiro

Post 06
Manual Prático do Vampirismo (cont...)

5. O Ramo Romeno

O núcleo de vampiros do Ramo Romeno do Grande Pentagrama Europeu conseguiu reunir representantes das dinastias Bruhesesn (Bucareste), Katterfelto (Prússia), Lobaczewski (Cracóvia, na Polônia), Nikolaievitch (Moscou) e Emmerich (Kiev, na Ucrânia). Essa grande diversidade só era (e é) possível devido ao fato de que existe para uni-las um inimigo comum. Mas essa mesma diversidade dentro de toda a estrutura do Grande Pentagrama provoca nos grandes conflitos políticos um intrincado de interesses, alianças, pactos e traições tão grande que muitas vezes uma mesma dinastia tem uma aliança com outra no mundo dos vivos e uma luta de extinção no mundo dos mortos-vivos...


6. O Ramo Itálico

O Ramo Itálico, apesar de ser o menos representativo numericamente falando, é importantíssimo no plano de forças astrais do arsenal do grande Pentagrama. Pois sua função mais importante é interferir nas emissões energéticas do Vaticano para o resto do mundo. Suas atividades em Palermo são comandadas pelo Mago e Vidente vampiro Conde Marcello Murillo de Andreas Cupertino (1204/...), primeiro vampiro da Dinastia dos Cupertino e provavelmente o mais antigo ainda em atividades no planeta. Possui profundos conhecimentos políticos e táticos e chefia ma das maiores redes de informação criminosa da terra. Tem profunda influência em todas as famílias sicilianas e continuamente assina novas alianças e pactos de ajuda mútua.


Um pouco de história

Grandes preconceitos sempre entravaram o progresso da ciência e o conhecimento humano. Nos domínios da Medicina e da Cirurgia, por exemplo, a proibição de dissecar corpos humanos era uma tradição herdada dos gregos e severamente obedecida. No entanto, esse respeito aos mortos contrastava enormemente com a facilidade com que os vivos eram torturados, assassinados e torrados nas fogueiras. Somente quando Frederico II e seus sucessores relaxaram as restrições às práticas médicas, a medicina começou a fazer alguns progressos. Na época em que Colombo descobriu a América, alguma dissecação era permitida na Itália, e o mesmo ano que viu a publicação da Teoria de Copérnico (1543) viu também a de um grande marco na história da Medicina, "A Estrutura do Corpo Humano", de André Vesalius (1514/1564), da Universidade de Pádua. Através da obra a estrura do nosso organismo era compreendida através de uma grande quantidade de ilustrações e não mais através de citações hipotéticas e absurdas de Galeno, Hipócrates ou qualquer outro autor morto há milênios. A descoberta da circulação sabguínea por Willian Harvey (1578/1657), que estudou com Jerome Fabricius (1537/1619), o fundador da embrilogia durante o reinado de Israel, - lançou as bases da fisiologia moderna, pois é impossível compreender qualquer processo fisiológico antes de conhecer o fenômeno da circulação do sangue. Seus trabalhos foram complementados depois do aparecimento do microscópio, quando Marcelo Malpighi (1628/1694) observou a passagem das células sanguíneas pelos vasos capilares da superfície do pulmão de uma rã. E foi impossível a todos explicar a natureza da puricação do sangue pelo oxigênio aspirado pelos pulmões, até que o químico francês Antoine Lavoisier (1743/1794) explicasse a natureza da oxidação, entre 1777 e 1785.
Entretanto um progresso muito maior e uma superação de preconceitos fantásticos e insuspeitados ainda terão que ser superados até que possa vir a público e se tornar do conhecimento comum e em forma científica, as singularíssimas situações orgânicas em que a circulação do sangue possa ser estacionada por dias, meses e até séculos a fio, sem que o corpo entre em decomposição. E que esses mesmos corpos possam prescindir da respiração por completo durante esse mesmo período de tempo. Isso não poderá ser feito mais através da dissecação dos cadáveres que só fornecem informação sobre a estrutura dos corpos mas quase que nada de sua função, ou seja, a fisiologia dos processos invisíveis biológicos e psíquicos muito além da anatomia, da química e da microscopia. Esses conhecimentos existem e são desenvolvidos há séculos, permanecendo no entanto em poder secreto de ordens iniciáticas e religiosas que as exploram de formas absolutamente insuspeitadas, enquanto o resto da humanidade padece e continua sem solução até para a simples gripe, bem como do câncer, da leucemia e outras doenças degererativas. Parece ser perfeitamente lógico que até os próprios vampiros só teríam a lucrar num intercâmbio científico comos seres normais. No entanto, mistérios muito mais profundos tornam impossíveis essa possibilidade. Mistérios que datam da criação do ser humano e talvez até da própria vida do Universo... Com vampiros não há diálogo. Apenas a luta de vida ou morte. Que nunca se esqueça disso, pois eles são extremamente ladinos e capazes de qualquer coisa para ludibriarem, vencerem e continuarem vivos.
2. "Apesar da imprensa ser do conhecimento dos chineses no sec. XI, foi efetivamente com johann Gutenberg (1398/1468) que ela se disseminou explosivamente por volta de 1456. Por volta de 1490 Veneza só possuía cerca de cem estabelecimentos gráficos, mas no final do século cerca de nove milhões de livros já haviam sido impressos e disseminados por toda a Europa. Este desenvolvimento fulminante da imprensa condenou à morte o medievalismo. Cinqüenta anos após a invenção da imprensa, a causa da reforma recebeu um novo e poderoso alento e foi precipitada com uma violência explosiva pela descoberta da América. A 3 de agosto de 1492 Colombo partia de Palos e abria um novo mundo ao pensamento humano. O pensamento medieval estava morto. O mundo penetrava nos tempos modernos, no reinado da Razão."
Há alguns anos eu escreveria o texto acima com um grau de certeza muito maior do que a que tenho hoje. Na verdade, após os acontecimentos que constituem a essência desta narrativa, não creio que o pensamento madieval tenha jamais morrido. Nem que o mundo tenha passado alguma vez por um "reinado da razão". O progresso humano tem sido sempre desarrazoado na mesma proporção. Pois como já mencionei anteriormente, a qualidade de vida das pessoas só tende a dcrescer e o progresso passa a ter cada vez menor signficado prático e utilidade. Eu aprecio cada vez menos as máquinas. Porisso, à importância que delego a este documento, fiz questão de prapara-lo manuscritamente. Os grandes documentos, mesmo os mais recentes, são manuscritos. É uma tradição que quero manter. E que este manuscrito original possa ser mantido intacto mesmo depois que as cópias impressas tenham sido disseminadas e sua destruição se torne assim impossível. Sou extremamente grato a Johan Gutenberg, mas certas coisas só mãos humanas podem transmitir. Manualmente.
Darei a este documento completo o nome genérico de MANUAL PRÁTICO DO VAMPIRISMO. Ele constará basicamente de cinco partes: esta narrativa que alinhava num mesmo contexto as pessoas envolvidas e um conjunto de documentos colhidos em diversas situações e muitas vezes de autores diversos no espaço e no tempo, por mim e por meu saudoso amigo e colega Dr. Paul René, a quem dedico este trabalho.


Manual Prático do Vampirismo




A Hora do Vampiro





Sobre o Livro

Publicado originalmente em 1975, A Hora do Vampiro é inspirado em o Drácula de Bram Stoker. Segundo livro da carreira de King, a obra deu origem ao filme Os Vampiros de Salem, dirigido por Tobe Hopper, de O Massacre da Serra Elétrica.
Ambientado na cidadezinha de Jerusalem`s Lot, na Nova Inglaterra, o romance conta a história de três forasteiros. Ben Mears, um escritor que viveu alguns anos na cidade quando criança e está disposto a acertar contas com o próprio passado; Mark Petrie, um menino obcecado por monstros e filmes de terror; e o Senhor Barlow, uma figura misteriosa que decide abrir uma loja na cidade.Após a chegada desses forasteiros, fatos inexplicáveis vêm perturbar a rotina provinciana de Jerusalem`s Lot: uma criança é encontrada morta; habitantes começam a desaparecer sem deixar vestígios ou sucumbem a uma estranha doença. A morte passa a envolver a pequena cidade com seu toque maléfico e Ben e Mark são obrigados a escolher o único caminho que resta aos sobreviventes da praga: fugir.Mas isso não será tão simples, os destinos de Ben, Mark, Barlow e Jerusalem`s Lot estão agora para sempre interligados. E é chegada a hora do inevitável acerto de contas.
Autor: Stephen King

CLIQUE B PARA BAIXAR

Manual Prático do Vampirismo
Próxima Página
Voltar ao Índice
[Ler mais...]

TERMOS DE USO

Termo De Uso. VAMPIRO A ETERNIDADE DA SOLIDÃO não hospeda e não faz upload de nenhum arquivo, apenas indica onde encontrá-los. Todos os arquivos estão hospedados na internet, o usuário deverá estar ciente que ao baixar algum material que possua direitos autorais, deverá permanecer com o mesmo, em seu computador, por apenas 24 horas, após esse prazo, deverá comprá-lo ou apagá-lo. VAMPIRO A ETERNIDADE DA SOLIDÃO
Online Advertisingfile recovery